25.7.09

Lavagem ao Cérebro


Os Métodos Usados por Seitas, Ditadores, Pregadores...

O manipulador procura o colapso mental da vítima

Todos sabemos, o que é manipular e o que é ser manipulado. Os verdugos da lavagem ao cérebro, desde os ditadores, gurus, pregadores e até líderes sectários ou cônjugues impiedosos, não funcionam a uma escala pequena, mas dominam a vontade de outro, apoderando-se do seu pensamento e despojando-se a pessoa do "eu" para, depois edificar um novo pensamento.

As seitas reprogramam as pessoas que aliciam

Durante o tempo que dura o processo de aliciamento de um jovem por parte dos membros de uma seita, este tem de fazer actos contrários aos seus princípios, e isso causa-lhe a referida dissonância. Por vezes modifica o seu comportamento e acaba com os ludibriadores antes que o processo de aliciamento possa culminar, mas na maior parte das vezes as etapas sucedem-se com êxito, à medida que a vítima, começa a modificar o seu pensamento. A programação inicia-se com a obrigação de desempenhar tarefas pequenas, depois faz de forma mais agressiva e diante de alguém. Os argumentos terão de ser mais enérgicos e, diz a si próprio para poder ultrapassar. Ao fim de algum tempo, a pessoa começa a acreditar absolutamente no discurso, e considera que a sua conduta: já se tornou um deles. As organizações sectárias, mesmo as pacíficas, também eliminam o nome próprio e substituem-no por outro, em geral esotérico. Num lar, o cônjugue agressor também nunca se dirige à vítima pelo nome, mas sim por interjeições.

Uma mulher psicologicamente destruída que se identifica com o marido abusivo não encontra nele mais do que absurdas justificações para a sua derrocada psicológica. As pessoas programadas perdem a capacidade de decidir livremente e o isolamento é uma medida desestabilizador. A par de tudo isto, a pessoa é submetida a um isolamento físico, como no caso dos prisioneiros, quando se trata de pessoas "encarceradas" nas seitas ou no próprio lar.

Qual é o candidato ideal? Regra geral, é jovem, imaturo, idealista e com instabilidade emocional, embora também se possa tratar de um adulto com as mesmas características. Estas pessoas não suportam a incerteza e precisam de acreditar numa "grande verdade".

É possível anular o efeito de uma lavagem ao cérebro

A maioria das pessoas que foram submetidas a algum tipo de lavagem ao cérebro não se suicidam, nem se imolam, nem enlouquecem, nem morrem. Os que se libertam e recuperam uma vida normal experimentam duas sensações intensas, uma negativa e outra positiva, ou seja, têm medo de que a experiência se repita, e ao mesmo tempo desejam inconscientemente que aconteça de novo, para se libertarem da culpa que a lavagem ao cérebro deixa para sempre; por outro lado, sentem uma maior empatia em relação aos outros e uma maior sensibilidade para com os seus próprios sentimentos, depois de terem tocado no "fundo do poço do sofrimento."
Lumenamena

9 comentários:

Ademar Oliveira de Lima disse...

Estive por aqui lendo um pouco em seu blog!! Abraços Ademar!!

Lumenamena disse...

Ademar - Obrigada pela visita.
Volte sempre!

Abraços

Edson Carmo disse...

Gosto do que você escreve!

Infelizmente este mundo é assim... até nossas expressões estão erradas, corrompidas. Observe: os charlatões estão fazendo uma sujeira cerebral e estamos chamando-as do contrário. Malfeitores não são os que limpam, e sim os que sujam. Então, deveríamos pronunciar sujeira cerebral, e não lavagem cerebral. O que há de mau em limpar? Só se limpa aquilo que está sujo – e isso é um bem, e não um mau. Os gurus, pregadores, escritores... cada um tem uma chave que só funciona em sua fechadura. Logo, se há encaixe, é porque um foi feito para o outro. Finalmente, cada um é atraído por aquilo que busca. Alguém busca alguma coisa inerente ao Bem, e outro alguém busca alguma coisa inerente ao Mau. Não há um terceiro fenômeno. Isso é tudo!

Edson Carmo

Lumenamena disse...

Edson Carmo - Obrigada por aparecer.

O seu raciocínio é excelente!
Nem tinha pensado nisso!
"Sujeira Cerebral", se invertermos as situações, esta é deveras a mais coerente.
Nos implantam ou ocultam certas informações, que de alguma maneira, ou de outra para nos garantirem o bem-estar de toda uma sociedade.

Vou pensar fazer outro artigo nestes moldes :)

Abraços,
Lumenamena

Diogo Rugeiro disse...

Peço desculpa pois não li para além da introdução deste post... Mas a coisa é que, e não sei se foi abordado, "gurus, pregadores, etc"... são pessoas que absorvem os poderes das multidões... ou seja, a multidão por si, já é uma força enorme... e tendo em conta que, temos o exemplo como das religiões, cujas creças nos são ensinadas desde que nascemos, e para alem do mais, falarem de casos vagos mas detalhados (refiro-me a conferencias e what - not... nostredamous, por exemplo, com as suas profecias...) e pronto... as pessoas interpretam de acordo com o que vem poderia ser, com aquilo que se identificam...

O problema ta tambem nas pessoas, não só em quem as move!
A fraqueza da mente humana é grande, e os exemplos são varios... e servem de motivador para muitos dos demais...

Lumenamena disse...

Olá Diogo Rugeiro,

Sim, foi abordado gurus e pregadores.

De que forma o homem pode ser desprezível..., tão vil quanto pode visualizar com a sua mente. Os carrascos, aqueles que operavam as guilhotinas na Revolução Francesa, encharcados com o sangue das suas vítimas, bem alegres, fariam um intervalo para comer pão e queijo, e tomar vinho. As tropas da Gestapo em alguns Estados Bálticos, maravilhavam-se com a forma selvagem com que as populações locais massacravam os judeus. Quando as Torres Gêmeas em Nova York ainda estavam em chamas, reduzindo as cinzas dos inocentes, muitos aplaudiam pelo mundo. Tal como Caim, a humanidade é má, sangrenta e pecaminosa.

Existem pessoas que precisam de acreditar numa fantasia que faz parte da vida delas, e na verdade os videntes conhecem muito bem o perfil dessas pessoas, que na maioria das vezes são pessoas sonhadoras, e acreditam em qualquer coisa.
Acredito que seja por falta de muita gente não ter informação, ou conhecimento, ou por simplesmente serem carentes, ou ainda por terem medos, e simplesmente vão por acreditar para preverem algum desconforto.

Um Bem Haja,
Lumenamena

Fausto Sotam disse...

NÃO SERÁ MAIS UMA DICTOMIA DA EXISTÊNCIA? Como o Edson disse nós atraímos aquilo que nós pensamos, e porventura se não soubermos pensar por nós próprios seremos sempre escravos das nossas ilusões, ou criações, que obviamente irão atrair situações que nós criamos e espelha-mos. Abraços.

Lumenamena disse...

Fausto Sotam - Grata pela sua presença.

Sim, penso que essas condições opostas, são consideradas na existência humana.
Vejamos, geralmente a maior parte das pessoas são atraídas pelos pensamentos alheios. O ideal é sermos na medida de todas as coisas, com convicção dos nossos pensamentos, e não escravos das nossas ilusões.
Nunca devemos mudar a nossa maneira de pensar, só para agradar aos outros.

Abraços,
Lumenamena

Edson Carmo disse...

Queridos Fausto e Lumena,

Pensamentos não são seus. Pensamentos são entidades viajantes que vêm e vão. São hospedes que chegam por meio da educação ou da experimentação, e se instalam em nossa hospedaria mental por determinado tempo. Você pode pensar naquilo que não viu ou não ouviu...? É por isso que os pensamentos não são seus, eles vêm de fora! Os adultos viveram mais, ouviram mais, viram mais... Daí o motivo de “seus” pensamentos serem diferente “dos” “das” crianças. Crianças pensam como crianças, mas quando ficarem adultas pensarão como adultos.

Um Bem Haja,

Edson Carmo