27.2.09

Um Sonho Numa Bolha de Ar




Tudo aconteceu de um momento para o outro, de um sono profundo, que espoletou num sonho
maravilhoso. Deitei-me cedo e para ali fiquei a rememorar, no que precisava para adormecer. Nada me escapou. Quando percebi, por fim, que teria que adormecer para me levantar cedo no dia seguinte. Adormeci feliz.
Virei-me para o lado direito, aconcheguei os lençóis bem ao pescoço e, lá fui eu, em caminhada serena, no mundo do esquecimento e da fantasia. O luar saltava pela janela e punha-me a brincar com a cabeça, talvez até a sorrir com os fios da realidade, da imaginação e do sonho que começara a tecer.
Pela viagem, eu saudava os pássaros e a despedida da minha viagem em segredo. A bolha parecia movida a motor, movimentava-se depressa, avançava numa vertigem, cortando o vento sem hesitar, quando surge pela frente uma luz muito brilhante, quase alucinante. Já não podia prever para onde o vento me levava. Talvez para as estrelas, e a verdade é que a luz brilhante iluminou a minha bolha com mais intensidade, cegou-me de tal forma, que só sentia o vento a deslizar e a "perfumar" minha pele, com sons divinos. Aí tudo se complica, o vento e a bolha não querem ficar mal naquela contenda e juntam forças, e lá me atiram sobre a cama suavemente. Finalmente acordo da viagem sonhada e preciosa.

O fenómeno dos sonhos:
A vida do ser humano se desenvolve em meio a vários ciclos da natureza. O ciclo das estações do ano, o ciclo das fases da lua, o ciclo do dia e da noite, entre outros. A cada um destes ciclos da natureza o homem foi obrigado a se adaptar de forma diferente, alguns de forma subtil, outros de forma radical. O ciclo dia-noite é o que teve o processo de adaptação mais radical, oscilando de um estado desperto, vigil, onde predomina a consciência a um estado de sono, inconsciente.
Lumenamena

3 comentários:

Toni disse...

Gosto muito deste txto Lumena.
Fiquei fascinado por este sonho.

Anónimo disse...

É um sonho que te encanta. Que perfumes tráz o vento? Ser frágil que te deixas embalar por coisas voláteis. O vento que vai e não volta e uma bolha que pode rebentar. Só resta a luz para te iluminar quando fechas os olhos. Quando acordares ela estará lá.

lumenamena disse...

"O vento a deslizar e a "perfumar"... com sons divinos". O vento envolve minha pele no sonho, com perfumes angelicais.