26.2.09

O Sapato de Salto Alto



Politicamente correcto ou não, este sapato desperta uma vontade irresistível de lhe fazer festas; pôr-lhe uma trela, levá-lo para a cama. Há mais de 30 anos que os sapatos são os acessórios de um conto de fadas: sapatos feitos com diamantes de fantasia, penas, lantejoulas, pele, jacaré e avestruz.
O próprio Blahnik é uma ave rara, um colibri exótico. Exprime-se com pontos de exclamação. Entusiasma-se. Nele, tudo são floreados, gestos rococó, maneiras requintadas, elegância impossível, de cabelo prateado penteado para trás.
As mulheres adoram os sapatos altos, algumas nunca os descalçam. Não será o sapato um espartilho para o pé? Sim, mas um espartilho que se adora! É uma magnífica fantasia em brocado de seda, fitas de veludo: luxuriante e poderoso, mas frágil.
É apenas um sapato!, mas proporciona um escape à mulher que o calça, se por alguns minutos der felicidade a alguém, então talvez seja mais do que um sapato. O pé é um "órgão erótico" e o sapato o seu revestimento sexual: Os seios sobressaem, o traseiro projecta-se para fora, a perna alonga e, isto é muito atraente para os homens.
Os sapatos transformam-nos noutra pessoa. Não podemos ser dominadoras calçando ténis. E qual é o expoente máximo de um sapato sexy? As botas de pele preta e saltos de 10 cm, são um sucesso garantido!
Fonte: National Geographic
Imagem: desenhado por Manolo Blahnik

3 comentários:

Anónimo disse...

o sapato é aqui descrito como uma imagem. O verdadeiro erotismo está nos órgãos genitais e nos movimentos, palavras, bocejos, etc. que os insinuam. A Rita Pereira de ténis continuará sexy e as botas sem a sua dona sensual são uma forma sómente.

Anónimo disse...

Continuo a achar as plantas mais eficazes na obtenção do sucesso. Mas uma mulher não é uma planta. Uma mulher pensa. Enquanto as mulheres pensarem nestas futilidades e acessórios, o mundo será dos homens. Dos que o são! Juro que não estava a pensar no C.B. (hic), esse mais se parece com um musgo.

lumenamena disse...

Uma imagem pode ser um complemento de erotismo. Cada sapato conta uma história, independentemente de quem os calça. Também revelam a nossa vulnerabilidade - não só a fraqueza da vaidade, mas também a natureza das nossas almas, que facilmente se deixam magoar.