23.12.09

Inquietações


O Filosofar dos Adolescentes

Na adolescência, o período atribulado em que a criança começa a ceder o seu lugar ao adulto em gestação e as crises de identidade e de identificação se agudizam, tem lugar a irreverência e importúnio até, caústico na maior parte dos casos.
Intelectualmente adulto, possui um pensamento-discurso capaz de acompanhar as argumentações dadas e de ponderar a sua razão, na posse das múltiplas informações na aprendizagem escolar, na comunicação social, no cinema, na rádio e na convivência com o que os outros lhe trazem, o jovem adulto, ávido de afirmação pessoal e de uma identidade própria. O perguntar e o responder não têm limites nem fronteiras.
Na direcção familiar, escolar, social e política ele oferece a crítica mais impiedosa, de ruptura, de utopia e de ingenuidade.
As perguntas saem-lhe como saem, contra tudo e contra todos, ainda que frequentemente não contra alguém em particular.
Naqueles em que a sensibilidade reflexiva é maior, as horas de solidão, às vezes impostas, às vezes procuradas, tais como:

Porque sou eu e não outro?
Porque é que tenho os pais que tenho?
Será que existe mesmo Deus?
E se Deus não existir?
Qual o sentido da existência?
Porquê a violência?
Porque é que não nos deixam fazer o que nos dá vontade?
Porque é que não se há-de experimentar tudo?

São estas as perguntas que constituem em longos períodos de inquietação.
Lumenamena

14 comentários:

Rener Brito disse...

Passando só para dizer que desejo a você e toda família do Blog AMORALYA, todas as felicidades.

Daniel Cristal disse...

Querido amigo,
Desejo a todos, com especial benquerença, uma muito feliz quadra festiva, esta que engloba o tempo natalício e o começo do ano vindouro. Ao amigo, dono e director deste espaço, à sua família, aos seus amigos e fiéis leitores, desejo muita saúde e muito amor e muita alegria, e tudo o mais que poderia ser desejado, resume-se bem nesses três votos; estou convicto que toda a felicidade e prosperidade virão por consequente acréscimo natural.
Até sempre, com amor,
Armando Figueiredo (Daniel Cristal)

http://www.google.pt/search?q=Daniel+Cristal&hl=pt-PT&start=0&sa=N

Lumenamena disse...

Rener Brito

Muito grata.
Desejo também para você, as maiores felicitações junto de familiares e amigos.

Abraços,
Lumena

Lumenamena disse...

Daniel Cristal,

Grata e agradeço a sua visita no meu espaço.

Para si, desejo igualmente Feliz Natal e próspero ano 2010, junto de familiares e amigos.

Um Bem Haja,
Lumena

Diogo Rugeiro disse...

Ainda não saiste da adolescencia ou tas só a recordar? LOL
Bom natal..

Fred Matos disse...

Lumena,
Não obstante a minha implicância com o uso comercial do "espírito natalino", não tenho como escapar da influência que a data exerce sobre o meu emocional que ainda teima em crer que a humanidade não é caso perdido e que podemos construir um mundo mais justo, sem violências e sem preconceitos. Em suma: sou um ingênuo assumido.
Sendo assim, é inevitável que venha para deixar os meus votos sinceros de que você tenha um feliz natal e que o ano novo não seja apenas uma nova página no calendário, mais um marco de mudança que inaugure uma nova era de paz e felicidades para todos e que possamos realizar todos os nossos melhores sonhos e projetos.
Felicidades.
Beijos

Edson Carmo disse...

Amiga Lumena,

Os adolescentes são criações dos adultos. Quando nascemos começa o processo de educação, logo somos levados a escola. A escola é um programa do governo, é um conjunto de conhecimentos de cultura e outras coisas que temos de aprender para sermos aceitos em nossa sociedade. Educação quer dizer retirar conhecimento, mas o que tem acontecido é introdução de conhecimento. Educação tornou-se apenas a junção das palavras Educar Ação. Assim os adolescentes são o reflexo deste Educar das Ações.

Abraços do amigo,

Edson Carmo

Adh2bs disse...

Lumena;
Agradeço e retribuo os votos que deixastes; que a inspiração continue a te abençoar em 2010.
Sobre adolescentes, posso dizer que tenho assistido de perto as inquietações que tão bem expuseste: tenho em casa um "recém-adulto" com 19 p/ 20 anos, ainda em busca de uma afirmação não mais por rebeldia ou oposição aos pais, mas já como um adulto mesmo e as implicações que isso traz; tenho outro, aos quase 15 anos, cuja tendência típica ao contraditório está em pleno auge; e um quase pré-adolescente que, em vias de completar 10 anos antecipa alguns conflitos na esteira deixada pela marola ocasionada pelos irmãos! A fascinante evolução destes seres (mais que filhos, são meus amigos no sentido lato da palavra) me preocupa e emociona. Mas faz parte da vida, do crescimento deles e - por que não dizer? - do meu.
Grande abraço, que 2010 venha acompanhado das realizações dos sonhos presentes e de mais sonhos para o futuro. A você e aos teus.
Adh2bs

Lumenamena disse...

Fred Matos,

Muito Obrigada pelas felicitações. Também estou de acordo de que possamos todos realizar os nossos sonhos e projectos.
Felicidades.

Abraços,
Lumena

Lumenamena disse...

Edson Carmo,

Perfeita sua visão.

Abraços da Amiga.
Lumena

Lumenamena disse...

Adh2bs,

Grata por nos mostrares que assististe bem de perto as inquietações dos seres, teus filhos, que descreves com emoção.
É muito agradável saber que tiveste tempo para os teus filhos, porque cada vez mais menos tempo os pais têm para os seus filhos.
A adolescência é como um rio de passagem, da infância para a idade adulta, e essa passagem causa-nos sempre inquietações a todos nós, que já passámos por ela.
A adolescência dos nossos filhos mexe profundamente com o nosso inconsciente.

Muito agradável teu comentário.

Um Grande Abraço,
Lumena

Lumenamena disse...

DIOGO RUGEIRO,

Os artigos que publico e em especial o tema: "O Filosofar dos Adolescentes", deve ou devia ser para ti, o motivo para reflexão ou melhor dizendo, para um comentário digno de se ler, porque o comentário que fizeste não diz absolutamente nada de especial.

À tua pergunta vou respondê-la: nesta fase da adolescência eu passei por algumas inquietações, assim como tu poderás ter passado e, quase todos os adolescentes passam por estas inquietações. Não é uma mera recordação, mas simplesmente está exposta um período da vida de adolescência, que procuram reconstruir o mundo segundo as suas ideias e valores que se vão renovando. Ao mesmo tempo põe em questão a significação do Mundo, da Existência e do Futuro.
Para além de uma certa confusão que te possa fazer na publicação deste post, pela qual quase todos passamos, deveria ser vista para ti como modelo para crescimento pessoal.
Cada um de nós constrói o seu "eu" através das interacções relacionais e a identidade constrói-se nas experiências vividas. Se na infância os nossos modelos são os nossos pais, na adolescência vão ser os jovens da mesma idade.
O melhor amigo é normalmente alguém com quem se partilham grandes inquietações. É como um espelho estruturante onde o adolescente se reconhece reflectido, onde se vê crescer.
Isto tudo, para te dizer que o tema "Inquietações", te sirva para aprender a pensar, a construir e a agir, visto estares na idade final da adolescência, (dos teus 19/20 anos), te encontres no limiar da vida adulta.

Tenta fazer comentários mais didácticos.

Abraços,
Lumena

Abdoul Hakime Goul Djounoubi عبد الحكيم گل جنوبی disse...

Olá, Lumena, como andas? Não deu pra passar por aqui no Natal, que eu tive visita, e foi difícil me aproximar do computador. Mas, pra 2010, desejo-te tudo de bom, paz, saúde, dinheirinho no bolso, paciência com as pessoas chatas e muita luz no teu coração. Sei que mereces tudo isso e muito mais, e quero dizer-te que o teu carinho foi um pedaço importante deste ano que está a passar.

Quanto ao texto, acho que tens uma visão muito boa sobre este período de nossas vidas, pelo qual todos passamos. Porém, faltou citar a parte ruim: junto com as dúvidas e inquietaçôes típicas dessa fase, às vezes vem uma revolta mais que exagerada, talvez movida pelo desejo de não fazer parte de um mundo que se está a descobrir, rapido. Claro que há os jovens que perguntrão-se "por que a violência", porém alguns deles liberarão suas energias justamente com atitudes muitas vezes agressivas, e ainda que no fundo a raiva não seja direcionada a alguém em particular, quem sofre são os que estão próximos.
Aqui no Brasil, os jovens são não apenas as maiores vítimas de violência, como igualmente, o que é mais preocupante, os seus maiores perpetradores.
Claro, nem todos são assim, alguns se dedicam aos estudos, aos livros, música, arte, amigos, conhecer-se... não é à toa que é na adolescência que surgem os diários íntimos, onde dizemos a nós mesmos o que pensamos do mundo e de nós. Na infância, são os amigos invisíveis, que só nós vemos, mas na adolescência já estamos um pouco mais sábios pra admitir a nós mesmos que é de nós que sai a inspiração.

Na Idade Média, ouvi dizer que nem havia infância ou adolescência. A infância era breve demais, com 4 anos a pessoa já estava a trabalhar, e com 13 poderia estar casada e com filhos, não havia o conceito que se tem hoje. Por isso, estou de acordo com o comentário do Edson também, mas em parte. Acho que, metem conceitos em nossa cabeça, mas, sem eles, quem seríamos? Ficaríamos sem base, sem ponto de partida. Pois é preciso conhecer o mundo dos outros, antes de qualquer coisa, para que possamos nos localizar nele e ver o que queremos dele ou não.

Bem haja!
Au revoir!

Lumenamena disse...

Abdoul Hakime,

Sempre apareces com comentários interessantes! É muito agradável lê-los.

Certamente não sabemos o que está para além da morte, e por não ser possível provar, algumas pessoas se apoiam em crenças, outras limitam-se a dizer que não existe nada, para além da morte.
Não é difícil submeter os sentimentos ao domínio da razão. Simplesmente, a física torna possível observar o cérebro e todo o nosso sistema nervoso em funcionamento.
A razão e emoção estão diametralmente opostas, por vezes com dificuldade, estabelece um conhecimento racional emotivo, embora isso não seja absurdo.
Geralmente se associa ao coração a tudo o que sentimos, mas como dizes, que é no cérebro que os impulsos eléctricos são desencadeados no processo do pensamento e de todo o corpo.
Deves saber como funciona a sinapse? Pois, é um fenômeno curioso, quando um pensamento é activado, por emoções intensas, (medo, amor, agressão, ódio), entre os neurónios existe uma distância preenchida por substâncias químicas e, ao se combinarem geram impulsos eléctricos, activados por esses pensamentos. Esses impulsos eléctricos saltam de um neurónio para outro, e assim sucessivamente, quando activados por esses pensamentos. O coração simplesmente bombeia sangue para
nos mantermos vivos.
Metaforicamente, se associa o coração com origem do que sentimos.
Também é necessário haver um equilíbrio entre a razão e a emoção, mas não é fácil de atingir. Há que saber gerir os sentimentos, porque muitas das decisões acabam mesmo por serem influenciadas pelas nossas emoções.
As emoções são uma fonte valiosa de informação e também nos ajudam a tomar decisões. Estas, são resultados não só da razão, como também da junção de ambas.
Deus (ou a Natureza), como queiram chamar, fez isso muito de propósito.

Mas cuidado, por vezes as nossas emoções também nos podem prejudicar.

Um Abraço,
Lumena