14.9.09

Lo Yoga della Potenza


Lo Yoga della Potenza (O Ioga da Potência), traduzido em francês, anos mais tarde, Yoga tantrique.
Um dos erros irreparáveis do Ocidente foi provávelmente o de conceptualizar a complexa substância humana sob a forma da antítese alma-corpo, só conseguindo sair dessa antítese, negando a alma. Um outro erro, e que continua a agravar-se, consiste em só conceber um trabalho de aperfeiçoamento ou de libertação interiores em função do desenvolvimento do indivíduo ou da pessoa, e não do apagamento destas duas noções em favor da, de Ser, ou do que vai mais além do que o Ser.
Ao contrário do que se passa com o zen, em que o despertar corresponde a um choque sentido como súbito, se bem que preparado por uma espera mais ou menos longa, o despertar tântrico é progressivo e procede de incessantes disciplinas. Trata-se de atingir um máximo de atenção, ela própria impossível sem um máximo de serenidade: uma superfície agitada não reflecte.
A complexa casuística de causas e efeitos, são de uma tal importância, não só para a vida espiritual mas para a utilização de todas as faculdades, que julgo não haver condição humana que elas não possam melhorar, quer se trate do homem de acção, quer do escritor, quer simplesmente do homem entregue à vida. As pessoas que sabem pouco do tantrismo conhecem-lhe em geral mais o seu lado erótico.
As práticas eróticas do tantrismo não tendem, como as do Tao, a asseguar vigor e longevidade, e não representam também, como as do Kama-Sutra, uma higiene do prazer, elas tendem sobretudo para a sacralização da união carnal, que o Ocidente nunca conheceu nem quis aceitar. Trata-se, por uma série de interditos e libertações sucessivas. A lenta e gradual familiaridade atingida pelos meios do olhar, da voz, do tacto, e finalmente da coabitação física.
Quem tenha ouvido enunciar um mantra sânscrito sabe a que ponto este se espalha sobre a multidão como ondas concêntricas, encerrando, num mistério de som. O mesmo se passava antigamente na igreja com as orações em latim, ou seja, agindo assim: ex opere operato.
O método tântrico é psicológico e não ético: trata-se de captar forças e não de adquirir virtudes.
Há vários níveis, alguns tão discretos que podem ser praticados em qualquer lugar, sem agredir os costumes vigentes.
No próximo artigo, publicarei os vários níveis na prática do sexo tântrico.
(Continua...)
Lumenamena

2 comentários:

A Flor do Sul عبد الحكيم زهرة الجنوب disse...

Concordo com ele, porque virtudes bão existem.
O que existe é uma determinada atitude estar de acordo c om o que é melhor para um momento e pronto... Eterno mesmo somente é a Força Maior.
Adorei a música de fundo. Quem canta?

Lumenamena disse...

Olá Hakim!

Grata por te ver aqui.
Sim, dizes e muito bem, trata-se mesmo de captar forças interiores, através de vários níveis que desencadeiam incessantes disciplinas, através da atenção, para atingir a serenidade.
A música de fundo, a primeira que ouves quando abres o blog, é Kate Melua, lindíssima música. Entre outras que podes ver na lista de músicas.

Um abraço,
Lumena